ceo startup

No começo de sua startup o CEO é a pessoa responsável tanto por tomar as decisões mais difíceis quanto por levar o lixo para fora do escritório (ou da garagem). Com o tempo, se aprende um monte de coisas: sobre pessoas, sobre vendas, liderança, gestão, marketing, tech, mas principalmente sobre si mesmo.

E nenhuma dessas coisas mais importantes você descobrirá em livros…

Alguns tipos de experiências só se aprende vivendo, errando, caindo e levantando. No entanto, há conhecimentos e experiências comuns, que de uma forma ou de outra, você como CEO de uma startup com certeza viverá. Por isso, eu tenho um monte de conselhos para você. Eles te ajudarão, de fato! Mas nenhum deles substituirá o seu senso crítico ao viver, na prática e dia-a-dia, o brilhante desafio de transformar uma startup em sucesso.

1. Curta o caminho

Esse é o primeiro da lista, e o segundo mais importante. Como empreendedores ambiciosos e de sonhos grandes, tendemos a ficar extremamente ansiosos pelos resultados rápidos, ver nossa visão realizada. E quer saber? Muita coisa vai dar errado. Isso é uma certeza. Portanto, cuidado ao tentar apressar o rio. Lembre-se de curtir o caminho, pois a verdade é que você nunca terá um ponto de chegada definitivo, até que você venda (ou quebre) sua startup. E isso demora, em média, 7 a 10 anos. Já pensou viver tenso e ansioso por tanto tempo assim?

2. Escute para entender, não para responder

Seres humanos são ótimos em ouvir, mas péssimos em escutar. Quantas vezes você ouviu uma pessoa e, antes mesmo que ela terminasse de falar, você já estava com a resposta na ponta da língua, esperando para responder? Essa é uma reação quase natural do ser humano, que é péssima para qualquer CEO cultivar.

Quando respondemos sem compreender a real natureza daquela situação, apenas reagimos. Esse é um impulso quase instintivo. Sedentos por colocar para fora nossa opinião, esquecemos de compreender o que a outra pessoa está querendo dizer.

Como CEO, você carrega a visão da empresa, o coração e a alma. Você também vende a empresa o tempo todo. Seja para clientes, investidores, para os próprios funcionários… Se você não estiver disposto a entender as pessoas, ao invés de apenas ouvi-las, você terá enormes dificuldades em gerar resultados.

Você não entenderá bem seus clientes e como melhor servi-los, não entenderá sua equipe, o motor da sua startup, e assim ficará perdido. Você será ótimo em colocar a culpa em inúmeros fatores e pessoas, menos na sua incapacidade de entender a real raiz do problema e como buscar uma solução. Pare de querer responder as pessoas sem antes buscar entendê-las. Isso sozinho fará muito por você e por sua empresa.

3. Você não constrói startups sozinho

Lembre-se sempre, você nunca está sozinho. Mesmo que tenha começado tudo sozinho, você possui família, amigos, funcionários, investidores… Divida o peso com eles, não é necessário carregar tudo sozinho, só porque no começo foi assim. Eles estão ali para isso, e aposto que terão o maior prazer em compartilhar o peso com você. Afinal, todos estão compartilhando do seu sonho, de alguma forma. Do contrário, ninguém estaria ali. Fale com eles, jamais se afaste quando as coisas parecerem difíceis e sem solução.

4. Não se arrependa e jamais lamente. Aja com o que tem e com o que sabe no momento

Quer saber a verdade fundamental de se criar startups de alto impacto?

AS COISAS VÃO DAR ERRADO.

Várias e várias vezes. Você perde a conta rápido! As métricas sobem e depois descem. Os clientes “churnan”, um funcionário se demite e te deixa “na mão” de forma inesperada. O crescimento (tração, product/market-fit, escala) poderia ser muito melhor…

Sabe de uma coisa? Você sentiria o mesmo se estivesse em uma nave espacial ou em uma ferrari. É importante dar um passo atrás e enxergar o cenário maior, a “big picture”. Coloque seus desafios em perspectiva e lembre-se do primeiro conselho!

5. O trabalho do CEO irá mudar drasticamente

Seu primeiro trabalho é construir o alicerce, a máquina de vendas e o produto que irá atrair clientes e gerar faturamento. Eventualmente seu trabalho começará a se tornar cada vez mais sobre criar a máquina que constrói e movimenta todas as outras máquinas… A máquina do coração (da cultura), a máquina do marketing e vendas, a máquina do produto e a máquina do propósito. Chega a hora que tudo começa a ser sobre contratar, liderar, gerenciar… Prepare-se para se sentir estranho quando você começar a desprender pelo menos metade do seu tempo contratando e delegando.

6. Dashboards não substituem estratégia

Todo mundo fala sobre ser data-driven hoje em dia. Particularmente, eu não era data-driven, e aprendi a ser. O que foi ótimo e hoje eu não abro mão dos dados. Mas você precisa definir sua estratégia e suas métricas devem segui-la, não o contrário.

Make no mistakes.

Para garantir que sua estratégia irá funcionar, ter um monte de dashboards jamais substituirá a capacidade de gerar insights de produto e uma estratégia forte.  

7. Dinheiro é importante

Buscar dinheiro no mercado, o que chamamos fundraising, é muito importante para o crescimento da sua startup. Entenda investimentos como um combustível de foguete, que vai fazer o seu Palio se tornar uma Ferrari. E conseguir captar investimento pode parecer um milestone importante, mas ele só adiciona mais responsabilidade ao próximo passo. Quando o dinheiro do investidor cai na conta da sua empresa, aquele é apenas o início da largada de uma corrida que irá durar anos. Então não se empolgue e jamais pense que algo já esta ganho.

8. CEOs vencedores focam na vitória, os perdedores focam em olhar para os vencedores

Talvez você esteja criando algo que ninguem nunca fez antes… Se esse é você, saiba que você é uma rara excessão. O que eu quero dizer com isso? No mundo de hoje, conectado e com tanta informação disponível, existe uma chance de 80 para 1 de que alguem já está fazendo, no mínimo algo parecido com o que sua startup faz.

Portanto, jamais foque sua energia na concorrência. Conheça muito bem o seu mercado, seus clientes e seus concorrentes. Mas jamais se preocupe demasiadamente com os concorrentes, a ponto de criar estratégias e ações baseadas nos movimentos deles. Isso é falta de visão. Continue mantendo seu foco em atingir suas metas e concretizar sua visão de futuro. Não tenha medo dos cães que latem quando o seu carro passa.

9. Alimentar seu networking é fundamental

Construa relacionamentos sólidos e de longo-prazo com seus funcionários, investidores e pessoas do seu ecossistema. Eu espero que sua startup tenha sucesso. Mas, se isso não acontecer, você ainda deve se mostrar capaz e interessado em construir e alimentar seu networking, porque você ainda tem um futuro.

Além disso, networking, assim como os dados, é o novo petróleo do século XXI. Você jamais se arrependerá, e eu prometo que você fará grandes amigos enquanto faz negócios.

10. Leia e releia esses dois livros:

Hard thing about hard things, do Ben Horowitz. O Ben é nada menos que um dos early employees do Netscape, um nos primeiros navegadores do mundo, e o responsável por fundar uma das bases da internet como a conhecemos hoje. Depois, ele e seu parceiro Marc Andreessen, fundaram a Opsware, o primeiro servidor de cloud do mundo (os caras inventaram a nuvem!), que foi vendida para a HP por 1,65 bilhões de dólares em 2007.

Depois do exit, eles fundaram a Andreessen Horowitz, um dos fundos de venture capital da “nova geração” que contribuiu decisivamente para uma abordagem mais eficiente de investimentos em startups. Depois de jogar os dois jogos, de founder e de investidor, com toda essa bagagem ele escreveu o livro Hard thing about hard things, que você deve ler e re-ler várias vezes!

High Output Management. Andy Grove talvez não seja um empreendedor muito famoso para as novas gerações. Isso não significa que ele não seja um dos melhores. Ele é ex-CEO da Intel e criador das OKR’s, método de gestão de resutltados que tomou as graças das empresas de alto crescimento, devido a sua simplicidade e efetividade.

Ler e re-ler High Output Management vai transformar você em um CEO melhor e a sua startup uma organização mais eficiente e focada. O livro escancara como nenhum outro, as responsabilidades de um gerente e o que você precisa saber sobre seus funcionários e seu papel. Você vai aprender como coletar a informação que você precisa para tomar as decisões certas, como motivar sua equipe e como fazer seu desempenho melhorar.

11. Não se preocupe com conselhos genéricos, incluindo essa lista (sim, esse é bônus!)

Tenha certeza de que as informações que você recebe e que influenciarão suas decisões estão relacionadas com a fase que sua startup está no momento, com seu mercado e também com suas situações específicas (modelo de negócios, fluxo de caixa, etc.). Converse com pessoas que estão dispostas a doar, e irem fundo nesse compartilhamento de informações. Listas como estas aqui são ótimas para dicas genéricas, mas pecam na transferência dessas informações para a prática. Esse conselho é um bônus porque ele é o mais importante da lista!