Criar uma startup de sucesso não é uma tarefa para qualquer um. E porque a maioria das startups falham?

Segundo Paul Gaham, co-fundador da Y Combinator:

“Porque empreendedores começam pensando em ideias. Esse modus operandi é duplamente perigoso: além de produzir poucas boas ideias, ele cria muitas ideias ruins que parecem plausíveis o suficiente para te enganar e motivar você a trabalhar nelas

Desde que o ecossistema de startups norte-americano está bem mais avançado que o brasileiro, eu acrescento uma realidade gritante entre os empreendedores tupiniquins:

“Eles pensam demais em produto. Desenham telas, constroem protótipos, MVPs e até produtos completos antes mesmo de ter sequer o primeiro cliente. Essa é a receita do desperdício. Um erro que custa caro.”

Como dizem no Vale do Silício: Tire a bunda da cadeira e ponha a mão na massa para descobrir o que as pessoas precisam e quanto elas estão dispostas a pagar por isso! (get out of the building and get your hands dirty).

Esse é o primeiro passo para criar uma startup de sucesso com poucos recursos: testar sua ideia no mundo real antes de construir qualquer produto. E isso você pode fazer sem ajuda e sem gastar nada. 

Mas nenhuma empresa se torna um sucesso dando um único passo. Para ir além disso,  siga o que eu vou te falar agora para atingir o sucesso mais rápido, mesmo que seus recursos sejam escassos.

Criando uma startup de sucesso em meio período ou no tempo livre

Criar uma startup não é fácil. Há uma série de desafios que devem ser superados. Haverão semanas que você não dormirá nada e ainda sentirá que não trabalhou o suficiente. Haverão semanas frustantes em que você concluirá que não avançou nem um centímetro. É duro fisica, emocional e psicologicamente. Sua escolha afetará a sua vida e de todas as pessoas ao seu redor.

E, se você ainda trabalha ou estuda restando pouco tempo para dedicar à sua startup, pode parecer que não há tempo suficiente para cumprir o mínimo necessário para o sucesso da empreitada.

Não dá pra comparar a jornada de uma startup com um “bico” para ganhar uma graninha extra, um negócio como afiliado na internet, ou iniciar um blog e criação de conteúdo nas redes sociais.

Em startups, velocidade é o ingrediente mais importante. Não necessariamente por questões competitivas, mas porque o aprendizado sobre o que dá certo e o que não vai pra frente é fundamental. E se faltar velocidade pode-se demorar anos para se descobrir o que realmente importa. 

Mover-se vagarosamente pode lhe custar toneladas de recursos perdidos, o que vai gerar falta de motivação e desistência. Por isso, ao invés de gastar seu tempo pensando em encontrar ideias e desenhar protótipos, arregaçar as mangas e por a mão na massa para descobrir problemas não resolvidos e necessidades mal atendidas dentro do mercado que você quer atuar vão economizar tempo e garantir que você esteja no caminho certo. 

“Nenhum plano sobrevive ao mercado” 

O segredo para não ser massacrado pela falta de tempo quando não se está 100% comprometido é saber o que precisa ser feito, e fazer o estritamente necessário para avançar com o seu projeto. Nos aprofundamos em como fazer isso nessa aula online.

Afinal tempo é um recurso limitado, e ninguém quer perder tempo.

Isso significa que você não deve começar enquanto não tiver tempo suficiente ou deve pedir demissão antes de iniciar sua startup?

De jeito nenhum.

Jack Dorsey (co-fundador do Twitter e do Square) iniciou sua jornada com o Twitter sendo um projeto paralelo. Marc Benioff também fez o mesmo ao iniciar a Salesforce antes de se tornarem CEOs 100% comprometidos com seus negócios.

De fato, pesquisas mostram que empreendedores que começam uma startup como projeto paralelo tem 33% menos chances de falhar do que aqueles fundadores totalmente comprometidos desde o início. A minimização de riscos e o inicio no bootstrapping (sem investimentos externos, mantendo a máquina enxuta) são dois dos benefícios mais importantes em manter um salário enquanto você está criando sua startup de sucesso em meio periodo.

Facebook e Instagram também são exemplos de startups que começaram como projetos paralelos, ou enquanto os fundadores estudavam. Tudo o que você precisa é encontrar uma ideia que você realmente se importe, e esteja disposto a enfrentar as centenas de obstáculos que irão aparecer ao longo do caminho.

Então, para ter sucesso com sua startup é preciso manter uma coisa em mente:

Paciência (com o processo e com você mesmo).

Em 2015 eu cometi esse erro…

Me arrisquei o suficiente e topei entrar em 2 projetos novos, enquanto já estava com uma startup rodando. Naquele momento me tornei co-fundador de 3 startups ao mesmo tempo. O resultado? Entregas mais ou menos para as 3. Claro, eu não tinha 20% da experiência com startups que adquiri ao longo desse e de outros processos. Ainda assim, não há como fugir de uma verdade: chega uma hora em que você precisa decidir! 

E a melhor receita que eu encontrei para isso é focar em 1 projeto paralelo por 3-4 meses, sendo o mais enxuto possível, mantendo um único foco: faturar antes de construir o produto.

Receita (também conhecido como money, bufunfa, capilé) é o melhor e único sinal de validação que se pode confiar. E se as pessoas não estiverem dispostas a pagar pelo seu produto, é porque você ainda não encontrou um problema suficientemente urgente que valha a pena ser resolvido – ou sua solução não é superior às soluções atuais (em qualidade, performance ou custo).

Há 3 maneiras simples de cobrar pelo seu produto antes que ele exista:

  1. Oferta com super desconto: Você pode oferecer um desconto de 50% para pagamentos semestrais/anuais do seu produto.
  2. Acesso vitalício (Lifetime-access): Ofereça valor antes prometendo uma entrega especial para seus primeiros clientes. 
  3. Implantação: Funciona como azeite na salada para B2B

Isso te dará um forte sinal de que há demanda para o seu produto, ao mesmo tempo em que você ganha tempo  – e dinheiro – para financiar as próximas fases da sua startup. 

Eu consigo te dar uma série de exemplos que começaram com nada mais do que um site. AirBnB, Buffer, Dropbox, Uber, EasyTaxi, Nucont, Feedz

Cada negócio é único. Logo, alguns produtos são mais difíceis de vender que outros. O que você precisa é de uma estratégia de execução que seja viável o suficiente para motivar pessoas a pagarem por sua solução. 

Se as 3 estratégias acima não se encaixarem no seu caso, você tem essa alternativa:

Construa um MVP – produto mínimo viável – Concierge. Talvez você veja por ai outros tipos de MVP: Mágico de Oz, Piecemeal, Landing Page, etc… São apenas caixas diferentes para uma mesma coisa em 2020. No fim das contas, seu MVP acabará tendo um pouco de tudo isso. Siga esses 10 principios para fazer o seu MVP de sucesso.

Dessa maneira você pode manter a estabilidade e o potencial para criar uma startup de sucesso, dando a você tempo até encontrar o melhor modelo de negócios.

O que nos leva diretamente ao segundo ponto…

O que você precisa saber para resolver um problema e fazer milhões: Job to be Done

A Contabilizei é uma startup que revolucionou a contabilidade no Brasil. Desde então, cresceu mais de 700% ao ano e recebeu mais de R$ 75 milhões de reais em investimentos.

A Contabilizei possui uma tecnologia muito simples por trás de todo o sucesso:

Trabalho manual!

São 350 pessoas que fazem o trabalho manualmente. O tempero secreto? Eles resolvem uma grande dor – urgente e obrigatória: contabilidade para pequenas empresas, e conseguem fazer isso melhor (no caso mais barato) que as demais soluções existentes.

Essa é a essência por trás do Job To be Done.

O que é o Job to be done, então?

Resumidamente falando, job to be done é um conceito revolucionário que vai te guiar através de um processo de inovação para que você encontre o que realmente importa para seu público-alvo. Ele vai te ajudar a quebrar a norma e ir além do status quo, mostrando o que há por trás dos desejos e motivações das pessoas que levam-nas a buscar soluções. O JTBD não é um produto, serviço ou uma solução específica, ele representa as as razões funcionais, emocionais, e sociais – o propósito pelo qual clientes querem pagar por produtos e serviços. 

Você não precisa de tecnologia de ponta. Dinheiro não é um diferencial para encontrar e validar um problema. Não saber programar e/ou não ter um desenvolvedor na equipe não é um limitante para lançar uma startup. O que uma startup de sucesso precisa é encontrar um problema real onde haja pessoas dispostas a pagar por uma solução.

A maioria dos produtos muda de tempos em tempos, mas as necessidades a que esse produtos ou serviços servem permanence a mesma: 

  • Comodidade,
  • Preço,
  • Qualidade,
  • Status,
  • Proteção/segurança,
  • Velocidade,
  • Conforto.

Os problemas da humanidade não mudaram nos últimos 2.000 anos. 

A tecnologia nos deu meios para alcançarmos escala. Mas a melhor tecnologia não pode fazer muito sem um problema para resolver. Não se constrói uma Ferrari para levar os filhos na escola. 

Nunca foi tão fácil construir um aplicativo, software ou qualquer outra coisa. As ferramentas disponíveis hoje tornam possível para qualquer um lançar uma dessas plataformas com baixo investimento e sem conhecimento técnico de programação. Como resultado, o mundo dos negócios se tornou mais competitivo. 

Nunca foi tão difícil atrair clientes, exceto se você tiver uma proposta de valor diferenciada te posicionando como unico em relação a concorrência. 

Começar pequeno, com um bom plano, é a melhor maneira de se conectar com possíveis clientes desde os primeiros passos, adquirir leads antes de construir seu produto e gerar receita para financiar os próximos estágios de uma startup. Esse caminho dará a quem seguí-lo os ingredientes certos para saber o que construir – e como se diferenciar. 

A unica pergunta que precisa ser respondida é essa:

Você tem a disposição e vontade necessárias para criar uma startup de sucesso?

Preparamos essa aula online para te ajudar a responder essa pergunta.

Conclusão:

Todos nós amamos ler histórias de empreendedores que largaram seus empregos ou abandonaram a faculdade para perseguir seus sonhos. No caminho, passaram por muitas dificuldades, criaram dívidas e faliram para fazerem milhões alguns anos depois. 

Histórias heróicas, sem dúvidas. Ótimas para que a mídia escreva sobre elas. Mas são uma péssima estratégia para você copiar. Um fluxo de dinheiro confiável (salário, mesada, freelas…), um bom plano e paciência não só vão aumentar suas chances de sucesso, mas te darão flexibilidade e paz de espírito para perseguir seus objetivos e sonhos. 

Persistência e intenção, e não genialidade, são os caminhos mais rápidos e seguros para o sucesso.

Os dois estágios discutidos no texto vão te munir com os insights, dados e investimento inicial para construir um produto que as pessoas querem pagar para usar. Essa é a maneira barata para aprender se a sua ideia de startup vai funcionar. E, se for o caso, pivotar e focar naquilo que funciona. 

Validar sua ideia usando esse framework é mais que a metade do caminho para construir uma startup de sucesso. Construir o produto é a parte fácil, se você souber o que construir. 

E se você busca ajuda para criar sua startup de sucesso, recomendo que você assista essa aula aqui.