Após alguns gigantes unicórnios começarem a perder dinheiro pelo crescimento excesivo, os investidores avisam: O Mantra do Vale do Silício está prestes a mudar!

Fred Wilson, um investidor da USV, empresa que já investiu em mais de 100 startups, recentemente publicou o artigo The Great Public Market Reckoning. Fred afirma que os argumentos que fizeram as Startups se valorizarem na última década estão acabando.

E ele não é o único no Vale do Silício falando isso. Bill Gurley, Brad Feld e outros investidores estão afirmando a mesma coisa e dando seus próprios avisos sobre os problemas que estão por vir.

Toda essa situação está apontando para o novo futuro das Startups. Na última década, as novas Startups encontraram um ambiente com fundos recheados de dinheiro e dispostos a pagar gigantes quantias pelas participações. Isso encorajava as Startups a focarem inteiramente no crescimento, e foi desse ambiente que saiu o mantra do vale do silício que conhecemos, o “Growth Mentality”.

Porém agora, com os tropeços pelo crescimento excesivo que causaram a desvalorização de diversas unicórnios como Uber e WeWork, o cenário está mudando. Investidores não querem mais crescimento, o novo mantra do vale do silício é Lucro. E as startups que já estão no mercado não estão ficando para trás com essas mudanças.

A Bird, por exemplo, mudou completamente seu foco. A Startup que trabalha com Scooters Elétricas atualmente é avaliada em $2.5 Bilhões (R$10.3 Bilhões), e no dia 3 de outubro anúnciou que recebeu $275 Milhões (R$1,1 Bilhões) em investimento. Travis VanderZanden, CEO da Bird, declarou em uma conferência da TechCrunch, feita no Vale do Silício, que a companhia não quer mais saber de crescer. O foco agora é lucro!

Mas, mesmo que mudança de foco sejam algo comum para startups, mudar para o lucro não foi fácil, disse Travis. “Eu sou um ‘ex-growth’ e as vezes me dói focar no lucro”. Ainda reafirma, “O desafio é se manter disciplinado”.

No final, mesmo que o mantra do vale do silício de “Growth” das startups esteja mudando, a essência delas continua a mesma: Resolver problemas. E é por não importar qual seja o mantra ou o foco, startups nunca sairão do game. Prova disso são as Top 101 Startups da maior aceleradora do MUNDO, a Y combinator.