Entenda o que nos faz não amar nosso trabalho, onde está o erro com as nossas crenças e como ser feliz enquanto trabalha.

Você sabe o verdadeiro porquê de você não amar o seu trabalho? A vida por si só já nos parece uma contradição. Entendemos muito pouco sobre a realidade. E, na maioria das vezes, complicamos o pouco que entendemos mais do que o necessário. Em outras palavras, temos dificuldades em simplificar as coisas e acabamos tornando elas mais pesadas do que realmente são.

O trabalho em si não existe

O conceito de sacrificar o seu tempo em troca de dinheiro é algo culturalmente construído.

Biologicamente falando, somos geneticamente programados para conquistar as coisas através do esforço. Isso porque essa programação mantém viva a luta pela sobrevivência, que é uma definição de trabalho. Ou seja, não existe uma regra que defina uma quantidade específica de trabalho que deve ser cumprida. Logo, o excesso já traz um grande ponto negativo quando falamos do por que você não ama seu trabalho.

Nós criamos regras arbitrárias para manter o mecanismo econômico funcionando, o que não é necessariamente ruim, mas isso criou um contraste. Graças a estas distinções, separamos as coisas que queremos curtir e aproveitar das coisas que precisamos fazer para que possamos manter nossa habilidade de fazer coisas que queremos. 

Confuso?

Quando pensamos em trabalho nós automaticamente o comparamos com nosso tempo livre, que, por definição, são opostos. Com essa comparação nós construímos a ideia de que trabalho não é algo que deve ser prazeroso

Olhe para a formalidade dentro das grandes (e pequenas) empresas. Todo mundo vestindo ternos e máscaras, para se passarem por pessoas que eles não são. Essas máscaras foram formadas pela ideia de que “se não é para ser prazeroso, eu não posso ser quem eu realmente sou”.

“Estamos completamente envolvidos por um sistema econômico muito estranho, que divide o seu dia em trabalho e diversão. Trabalho é algo que todo mundo faz e você é pago para fazê-lo porque ninguém se interessa por fazer isso de outra maneira. Em outras palavras, isso é tão abominável e chato que você deve ser pago para fazê-lo. E o objetivo do trabalho é ganhar dinheiro. E o objetivo de ganhar dinheiro é para poder ir para casa e aproveitar o dinheiro que você acaba de ganhar. Quando você percebe isso, você vê, que é assim que você compra prazer”, Allan Watts.

Sacrificar tempo por dinheiro é cultural.

Mesmo que você ame seu trabalho e ele te mantenha satisfeito o suficiente para que você continue engajado, dedicado e motivado, a ideia de que você está “trabalhando” ainda traz a sensação de que tudo isso é algo forçado. Isso por que ao invés de escolher você está fazendo tarefas e demandas que foram determinadas a você.

Escolha é uma necessidade humana fundamental para que você se mantenha motivado e sinta que possui controle sobre algo, e nossa construção mental sobre o que é trabalho extirpa e elimina nossa sensação de escolha.  Ou seja, é algo fundamental para que você ame seu trabalho.

Como todos nós temos que viver e “ganhar” a vida, sabendo que isso tomará uma grande parte do tempo que dispomos, devemos pensar em maneiras para fazermos desse tempo o mais prazeroso possível.

Claro, nem todas as circunstâncias permitem que vejamos o trabalho como algo diferente do que ele é. Portanto, entendendo isso, compreendemos que podemos criar uma abordagem mais fluída e tranquila aos compromissos profissionais simplesmente reduzindo o peso e o contraste / comparação entre o que você gosta e o que você não gosta de fazer. Esse é o primeiro passo para tornar o seu trabalho melhor.

O segredo é se divertir


Como eu disse, separar trabalho e diversão é o principal fator que faz você não amar o seu trabalho. Porque, então, não tratar tudo como diversão? Nós somos seres divertidos por natureza. Quando crianças, aprendemos e conhecemos o mundo através de nossas brincadeiras inocentes. Depois que crescemos, a maioria das atividades que consideramos divertidas, seja ela ler, fazer exercícios ou simplesmente ter momentos de ócio criativo, tudo isso são nossas formas de diversão. Todas essas atividades são jogos aos quais nos colocamos dentro deles. Por isso, é mais do que possível você “gameficar” o seu trabalho e torná-lo muito mais divertido.

Mas e se eu tenho um trabalho chato e que eu odeio?


Sabe aquele cara alegre, que está sempre sorrindo e fazendo piadas? Ele trabalha na mesma empresa que você. Muitas vezes em cargos piores e mais maçantes. Mas, por ele enxergar a vida de forma diferente e colocar as coisas chatas como algo divertido, ele é capaz de sorrir, mesmo fazendo as mesmas coisas que você.

Como? 

Oras, amar o seu trabalho é simples, pois tudo o que conhecemos é definido através de palavras que nos trazem a mente conceitos. Portanto, em essência, limites são ilusórios. E nós nos esquecemos disso frequentemente. Qual é o seu limite entre trabalho e diversão? Seja ele qual for, com certeza ele é diferente do meu! 

Vê? Isso é um conceito, criado por cada um de nós. Portanto, uma ilusão (que se torna verdade a partir do momento em que acreditamos nela como tal). 

Nós escolhemos deliberadamente onde vamos focar nossa atenção e nos esforçamos para fazer o melhor possível. Se fizermos bem uma tarefa, entramos em um mundo de alegria e satisfação. Geralmente, esse é o padrão de nossas emoções enquanto trabalhamos.

A diversão, ao contrário, não é algo que possui um padrão que precisa de um sinal para agir de um jeito ou de outro. Se divertir é uma habilidade natural de todo ser humano, uma capacidade inata de nosso cérebro – tanto que crianças não sabem fazer outra coisa a não ser se divertir (Claro, isso quando não estão chorando porque interrompemos a diversão delas com nossas obrigações e preocupações da vida adulta).

Transformar em hábito a execução de tarefas pode ser muito mais fácil do que você imagina.

Nada no mundo é verdadeiramente interessante. As coisas se tornam interessantes quando colocamos tempo e esforço para torná-las interessantes para nós. Por isso, se você flexibilizar a sua definição de trabalho e diversão, na maior parte do tempo você conseguirá transformar o seu trabalho em algo divertido.

Você precisará fazer apenas duas coisas para que isso se torne uma realidade para você: 

1. Se mantenha no momento presente, ao invés de ficar pensando a cada segundo quando tal tarefa vai terminar para você se ver livre dela.

2. Transforme suas demandas e tarefas em algo desafiador. Se a tarefa é repetitiva, desafie-se a fazer melhor do que simplesmente repetir um ato mecânico. Se a tarefa é muito monótona e cansativa, transforme-a em um jogo com etapas a serem vencidas. 

No fim, eu garanto que você irá se divertir com o seu trabalho mais do que pode imaginar. E, no mínimo, você terá se salvado de uma corrida dentro de um labirinto – sem sentido – que não te levará a lugar nenhum. Você se diverte trabalhando porque isso é agradável para você, não porque você está perseguindo um desejo qualquer de sucesso imaginado.

O trabalho toma mais tempo de sua vida do que qualquer outra coisa.

Mais tempo do que você tem para si mesmo, mais tempo do que você pode aproveitar com sua família e mais tempo do que você terá para ver o seu filho crescer e se desenvolver. Então, porque você continuará a lutar contra isso, sabendo que você terá que fazê-lo? Quando criamos um contraste entre Trabalho vs Diversão nós tratamos o trabalho como o oposto da diversão.

Honestamente, essa narrativa cultural que nos leva a comparar ao invés de integrar trabalho e diversão, não me interessa. Se você enxergar a sua vida de uma forma mais fluída, como um compromisso de responsabilidade, e se você tratar esses compromissos como diversão, não haverá razões para que seu trabalho seja uma fonte de insatisfação.

As coisas em que você se diverte só são divertidas por que…

Por que de alguma maneira você coloca o tempo e o esforço necessários para que elas se tornem divertidas. Eu não gostava de ler quando era adolescente, hoje não passo um dia sem ler algum livro.

E, se você se encontra em um trabalho em que você não vê possibilidade alguma de se divertir, é hora de fazer mudanças em sua vida. Claro, você tem contas para pagar assim como todo mundo, mas isso não impede que você considere novas alternativas. Como um cara chamado Allan Watts disse: “É melhor ter uma vida curta, cheia de alegria e de coisas que você gosta do que ter uma vida longa de uma maneira miserável.”

Our Idea Of Work Is Completely Wrong

Para Finalizar :Onde está nossa atenção, ali está a nossa vida. 

Simplesmente direcione sua atenção a algo diferente. Ao invés de ficar alimentando pensamentos de “que trabalho de merda”, “que chefe de merda”, “que lugar de merda”, comece a focar a sua atenção e energia em coisas melhores e mais positivas.

Afinal, gostar do seu trabalho é crucial para sua felicidade.

Agora que você já entende que trabalho é algo que pode ser positivo, entenda também o que você precisa fazer para conseguir investidores para seu negócio. E trabalhe feliz, como esse leão marinho: