Já que você está lendo um material sobre MVP, vou arriscar afirmar que você já teve aquele primeiro “click”, onde nasceu sua primeira magnífica – ou nem tão magnifica assim – ideia. A chama do empreendedor começa a queimar dentro de você. 

Foi atrás de muita informação. Estudou horas e horas sobre seu problema, depois começou a pensar na solução… A chama cresceu…

Estudou seu mercado e depois de muito trabalho aprimorou sua solução. Foi esperto e reavaliou seu problema e o seu mercado buscando por falhas. Agora a chama está mais forte do que nunca!

E aqui está você, um “incêndio” ambulante querendo ver seu trabalho duro começar a dar retorno e lendo um material sobre um tema que faz você tremer só de pensar em falhar. O tema?

MVP, o Mínimo Produto Viável. 

Mas calma, fique tranquilo, pois ao ler esse material você terá a verdadeira confiança de 1, ou melhor, de 100 empreendedores para fazer o seu MVP ser o maior sucesso possível.

Primeiro vamos deixar algo bem claro, pois a maioria acha que sabe mas não sabe…

O que é um MVP.

O seu MVP é a primeira validação real do mercado que seu produto terá. Você fará somente o essencial da sua solução (do seu produto) investindo o mínimo de tempo e recursos possíveis. E fará isso de maneira que você possa de fato testar seu produto e ter um feedback construtivo do mercado. Já acentuando, o MVP de sucesso é aquele que traz o melhor retorno realista do mercado.

É uma definição simples, mas deixa eu te fazer uma pergunta, você sabe o que é o essencial do seu produto?

O essencial do seu produto.

Quando falamos de MVP o essencial é justamente a parte do seu produto que precisa de um feedback do mercado. Poderíamos dividir o essencial em duas partes, os pilares e o diferencial. Primeiro, vamos a um exemplo:

Você teve uma ideia de fazer tênis para idosos correrem. Fez todo o processo e está na hora de criar seu produto e validar ele no mercado. Você tem diversas cores diferentes, desenhos, com florzinha, sem florzinha, com design e formato específico para o pé de idosos, com amortecedor bubble para idosos, com amortecedor normal para idosos, e por aí vai.

Os pilares.

Aqui entra o básico para resolver seu problema. É aquela parte que sem ela o seu produto não funciona de maneira nenhuma. No exemplo do tênis é aqui que estaria incluso o tênis em si, somente uma “capa para o pé”, ainda sem amortecedor, desenho ou um design específico.

O diferencial.

Aqui entraria o “extra”, que é aquela feature ou features que diferenciam o seu produto, tornam ele único. No exemplo do tênis o diferencial seria o design e o amortecedor.

É importante lembrar que você não está buscando ter sua ideia aprovada, e sim testada. Você quer um feedback, não importa se será positivo ou negativo. Então seja sincero na hora de pôr à prova suas features, afinal, se nenhum idoso for usar um tênis pra correr, pelo menos você não investiu muito dinheiro e tempo descobrindo isso.

Agora vêm o que eu considero ser a parte mais importante desse material:

O choque de realidade.

Você com certeza leu algum material falando sobre MVPs que o consumidor diz se aprova ou desaprova sua solução sem que ele precise tirar o dinheiro da carteira. Teste somente com landing pages, apresentações para seu público alvo, questionários como Google Forms e por aí vai. Pois é, todos esses? Esqueça.

A única forma de o mercado avaliar o seu produto é pagando por ele.

O que vai dizer se seu produto fará sucesso ou não é se as pessoas tirarem as notas do bolso e pagarem pelo seu MVP, ou seja, a receita. Afinal, se ele resolve um problema grande o suficiente para pagarem por um produto que está em desenvolvimento, você está no caminho certo.

Caso as pessoas não paguem

Se as pessoas não pagarem pelo seu MVP então existe algum erro na sua construção. Pode estar no seu MVP, ou seja, você deixou de lado algo importante de fora do seu MVP. Pode estar no seu produto, no caso esse “algo importante” simplesmente não existe na sua ideia de produto. Pode estar até no seu problema, que não é de fato um problema que vale a pena ser resolvido. E é exatamente por isso que é tão importante construir um MVP. Em vez de passar meses investindo para criar aquele aplicativo, produto ou serviço tão desejado, você passa investe muito menos para no final ver se de fato vai valer a pena, e já começa a lucrar no meio.

Porém lembre-se! Não se apegue a sua solução. Seu MVP trará um feedback realista que irá te obrigar a mudar algumas coisas, mas está tudo certo. Se as pessoas pagaram para “poder dar esse feedback” o seu produto vale a pena e você deve sim continuar investindo seu precioso tempo e dinheiro nele.

A verdade.

Esqueça todas as métricas que não são receita. Receita é a única e a melhor métrica. Até por que $ é muito bom. E outra coisa, aceite que seu produto vai mudar e você vai errar. Mas está tudo bem, afinal evoluir é o objetivo. Como um certo alguém que trabalha comigo diz…

“Startup é levar tapa na cara e aprender a lidar com isso”. Mas fique tranquilo, o objetivo aqui é fazer você não errar na etapa do seu MVP, e é por isso que vou te explicar a chave para o sucesso do seu mvp.

Ponto de vista

Não faz muito tempo que escrevi outro material sobre a importância de estar constantemente buscando novos pontos de vistas e novas técnicas para tirar mais insights do seu problema. E na hora de fazer seu MVP o ponto de vista que importa é o do consumidor.

Consumidor

Assumindo que você entende bem o seu problema, se coloque no lugar do seu consumidor e reavalie o seu problema. Imagine a situação em que você está quando precisa resolver esse problema, o que pode acontecer se você não resolver aquele problema. Agora, o que é o mais básico para você resolver o problema? Aquilo que “sem isso é impossível de resolver” é estará no MVP. Tudo o que “também seria legal isso” estará fora. E você tem o pilar do seu MVP.

Empreendedor

Mude novamente seu ponto de vista. Agora na sua visão como empreendedor, o que não pode estar de fora? Essa é a parte do diferencial. Aquilo que seria muito importante de ser testado. Uma feature inovadora que você não sabe se o mercado vai aceitar ou não.

E são esses pontos de vistas que garantem que se você colocará os pilares e diferenciais certos, fazendo seu MVP custar o mínimo de tempo e investimento possível, e garantindo que irá ser um MVP de sucesso, ou seja, trará o melhor feedback realista do mercado.

Agora que você já entende o que trará o sucesso nessa etapa, vou dar duas dicas de ouro:

1º: Use OKR.

2º: Colocar seu MVP no mercado e observar como o usuário está utilizando ele é uma excelente forma de receber um feedback sobre o seu MVP.

Isso traz clareza onde o MVP e seu produto pode melhorar. Mas não é todo o feedback que conta. Somente observar curva de aprendizado conta. Caso seja for um aplicativo, por exemplo, você pode observar qual caminho seu cliente toma, onde ele clica, qual duvidas ele tem durante a utilização e etc.

O difícil é conseguir diferenciar a curva de aprendizado e feedbacks sobre ela dos feedbacks que são simplesmente opiniões pessoais. Por mais que geralmente elas venham como algo simples… “Mas eu acho que a cor do…” ou “Se bem que o tamanho da letra”, essas opiniões pessoais podem vir como algo bem complicado… “Eu jamais leria toda essa página de vendas, está muito grande!”.

Não é fácil, mas sei que você vai ser capaz de diferenciar as críticas construtivas que devem ser levadas em consideração das críticas construtivas que não são úteis para você no momento.

Aqui entra uma excelente fala do homem que já foi o mais rico do mundo, Bill Gates.

“Você tem que saber dizer não e aproveitar somente as coisas que realmente farão uma diferença”.

Escolha para o seu MVP somente aquilo que realmente fará uma diferença. Se gostou da frase e gostaria de ver a entrevista é só clicar aqui.

Para finalizar, uma ferramenta que eu recomendaria para transformar a ideia do seu MVP em realidade é um Canvas. Tenho certeza que vai ajudar.

  • […] Se minha persona pode pagar pelo meu produto e meu mercado é lucrativo, vale a pena avançar para a validação com o MVP e descobrir se de fato meu produto vai funcionar no mercado. Se já está na fase de MVP e leu esse artigo somente para ter certeza que não pulou nenhuma etapa importante, clique aqui e leia um material excelente sobre MVP. […]

  • […] Claro, você pode já estar fazendo tudo o que recomendei e simplesmente leu o artigo todo para saber se teria algo faltando. Muito esperto da sua parte. Então, para você não dizer que foi “perda de tempo”, aqui vai um material especial que explica tudo sobre MVP, desde o método correto de validação, os componentes que são OBRIGATÓRIOS e um insight muito valioso de um dos homens mais ricos do mundo. É só clicar aqui 🙂 […]